Início / Bahia / Mulheres vítimas de violência terão apoio para conquistar autonomia financeira

Mulheres vítimas de violência terão apoio para conquistar autonomia financeira

Mulheres soteropolitanas, principalmente aquelas que sofreram algum tipo de violência, contarão com o apoio da Prefeitura, em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Bahia (Sebrae-BA) e com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) para que possam conquistar autonomia financeira. O apoio será prestado na nova Sala da Mulher Empreendedora, no Centro de Referência de Atendimento à Mulher Loreta Valadares, localizado nos Barris.  O primeiro curso a ser ofertado na Sala da Mulher Empreendedora será o de Doces Finos, a partir do dia 14 desse mês, para um público de 15 mulheres. As inscrições já podem ser feitas a partir dessa sexta-feira (01), no prédio do Loreta Valadares, ou por meio do telefone (71) 3235-4268. A prefeitura e o Senac também discutem a possibilidade de oferecer um curso de panificação para a produção de panetone na semana que antecede ao Natal.

Para a secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude, Taíssa Gama, esse é o início de uma grande parceria que pode ser ampliada no futuro. “É um sonho inaugurar essa sala. Nós queremos transformar o Loreta num Centro de Referência para todas as mulheres de Salvador. Quando a mulher pensar em ter atendimento, espero que ela pense no Loreta, para que possamos atende-la em tudo que ela precisar”, afirmou.

Segundo ela, a sala também representa o início da introdução e reintrodução do público feminino no mercado de trabalho: “As mulheres que são vítimas de violência precisam ter a quebra do vínculo financeiro com o agressor, marido ou companheiro, e aqui nessa sala nós iremos ajudá-la a se reencontrar uma ocupação profissional”, acrescentou.

A Sala da Mulher Empreendedora vai contar com cursos especializados para o público feminino que é atendido no centro de referência e também para o público externo, desde que o foco para as mulheres seja mantido. Com a iniciativa, mulheres que antes se submetiam aos maus-tratos dos maridos, por dependência financeira, terão autonomia e oportunidade de construir uma carreira.

O Sebrae disponibilizará atendimento, de terça a quinta-feira. A partir do mapeamento das habilidades e potencialidades das cadastradas, a entidade pretende abrir novos cursos e oficinas, tanto para as mulheres vítimas de violência e acolhidas no Loreta Valadares, como para o público externo. Quem tiver interesse em se cadastrar para participar dos cursos e oficinas deve levar RG e CPF ao local.

Sobre Mathias Jaimes

Leia Também

Secretário municipal há um ano, Silvanno Salles pouco fez pela cidade

Cantor de arrocha ganha R$ 6,5 mil de salário, mas há pouco registro da sua ...

Deixe uma resposta