Início / Bahia / Leo Prates: “estamos chegando perto do sonho de Martin Luther King”

Leo Prates: “estamos chegando perto do sonho de Martin Luther King”

A Câmara Municipal de Salvador celebrou na tarde desta segunda-feira (20) o Dia da Consciência Negra com um ato dos vereadores no Salão Nobre. Na ocasião, o presidente da Casa, vereador Leo Prates (DEM), e o da Comissão de Reparação, vereador Moisés Rocha (PT), acompanhados de outros colegas, abordaram questões raciais, abrindo a exposição do quadro “Zumbi dos Palmares”, da artista plástica França vencedor de um concurso realizado pela Casa do Povo em 1984.

Para o presidente, vereador Leo Prates, a homenagem fortalece o trabalho das Comissões, “neste caso a Comissão de Reparação, presidida pelo vereador Moises Rocha”. Leo aponta que “uma série de ações que vem sendo desenvolvidas”.

“Na gestão passada, o vereador Sílvio Humberto apresentou um projeto, aprovado por unanimidade, que reserva 30% das cotas em concurso do Legislativo Municipal para candidatos negros. Particularmente, tenho a felicidade de ser o presidente em realizar o concurso público com essas cotas”, disse Leo Prates.

O presidente fez questão de pontua que a atual gestão tem “a mesa diretora seria a mais negra do Brasil com um corregedor negro, Edvaldo Brito, um primeiro secretário negro, Toinho Carolino, um ouvidor nego, Luiz Carlos Suica, e diversos colegas que orgulham à Casa. Estamos chegando no sonho de Martin Luther King pois o trabalho dos vereadores não está sendo avaliado pela sua cor e sim pelo desempenho. Fico muito feliz em realizar essa homenagem no dia da Consciência Negra”.

Ao tratar da questão racial, o presidente da Comissão de Reparação, vereador Moisés Rocha, lembra da militante negra Eli Odara Theodoro. “Ela dizia que, se o muro que nos impede de avançar, de ascender em nosso país é o racismo, nós temos que derrubá-lo com a nossa consciência negra”. Na opinião dele, esse pensamento da ativista explicita bem o que significa a data de 20 de novembro. “Lutamos por um país onde o negro não esteja acima, mas todos estejam em patamar de igualdade”, afirma, ressaltando que a experiência do Quilombo de Palmares, sob a liderança de Zumbi, foi uma referência de uma sociedade igualitária.

A programação de atividades da Câmara sobre a questão racial vai além do Dia da Consciência Negra. Já no dia 22, haverá a audiência pública sobre o Estatuto da Igualdade Racial, às nove horas, no auditório do Centro de Cultura. A mesa redonda “Negros, museus e representatividade, onde está a sua cultura” será realizada no dia 23, a partir das nove horas, no Memorial. Neste mesmo dia (23), às 14 horas, haverá a sessão especial “Combate à marginalização do negro na sociedade soteropolitana”.

Sobre Mathias Jaimes

Leia Também

Para Jaques Wagner, Michel Temer “é um homem que tem uma história, é um constitucionalista”

Em matéria veiculada no site da Band (clique aqui), em setembro de 2009, o então ...

Deixe uma resposta