Início / Bahia / Empresários, agentes políticos, ambulantes e artistas em prol do Festival da Virada Salvador

Empresários, agentes políticos, ambulantes e artistas em prol do Festival da Virada Salvador

Crédito: SECOM Salvador

O Festival Virada Salvador já é um sucesso. A Prefeitura acertou em cheio ao mudar o local do Réveillon do Comércio para a orla da Boca do Rio, na área do Parque dos Ventos e ao lado do futuro Centro de Convenções. Um espaço que chegou para ficar, na opinião de gente como o músico Gilberto Gil, dos empresários do ramo da hotelaria, dos bares e restaurantes, dos ambulantes, da Saltur e das autoridades públicas municipais, a exemplo do vice-prefeito Bruno Reis, que fez uma veemente defesa do festival em entrevistas para emissoras de rádio que cobrem o evento.

Em vídeo gravado pela equipe do festival, Gilberto Gil aprovou a nova forma de utilização da área que compunha o antigo Aeroclube. “Agora me parece que a a municipalidade e autoridades querem fazer daqui um parque realmente interessante, trazendo o Centro de Convenções também para cá. O fato de trazer um festival desse tipo, com um palco desse, um acesso amplo ao público da Bahia, é uma das formas de iniciar essa requalificação (da área)”, comemorou Gil (veja vídeo abaixo).

Vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis fez também uma avaliação das duas primeiras noites do Festival Virada Salvador em entrevistas a rádios que estão cobrindo o evento ao vivo, no final da noite de ontem (29). “Fizemos a aposta certa de trazer o Réveillon para a Orla da Boca do Rio, já que o Comércio não comportava mais a quantidade de gente. E a prova é que em breve seremos não só o segundo, mas o primeiro destino turístico do país nesse período, em função de tudo que a Prefeitura está oferecendo em termos de atrações, estrutura e serviços, além dos investimentos que o prefeito ACM Neto tem feito na cidade”, afirmou.

Ele disse que “quem é contra o Festival da Virada se coloca contra a cidade”. “Os números estão aí. São R$405 milhões sendo injetados em nossa economia, segundo o Ministério do Turismo, graças a essa festa. Isso é emprego e renda. Festa em Salvador é coisa séria, estimula o turismo. Por isso, a Prefeitura tem sido protagonista na geração de emprego e renda na cidade. Somente este ano, o Salvador 360, programa ousado de estímulo à economia criado por ACM Neto, gerou 14,5 mil novos empregos para os soteropolitanos”, avaliou, lembrando ainda que o comércio informal está vibrando com o aumento das vendas em comparação ao ano passado.

Entidades como o Conselho Baiano de Turismo (CBTur), seccional baiana da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH) e Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SHRBS) e seccional baiana da Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav) divulgaram nota defendendo a importância do evento para a cidade. Todas elas elogiaram o trabalho desenvolvido pela Prefeitura para tornar Salvador um grande centro nacional e até internacional de eventos, tendo o turismo como fonte de geração de emprego e renda.

A Salvador Destination, entidade importante do setor turístico baiano, que divulga a imagem da capital no mundo inteiro, divulgou comunicado ressaltando que o trabalho na Prefeitura tem sido fundamental para a população e também para os visitantes. A entidade lembrou que o turismo é a principal atividade econômica da capital, responsável pelo maior contingente de empregos e formação da renda da população. “Por tudo isso é que Salvador conseguiu recuperar sua ocupação hoteleira, que cresceu mais de 9,5% em 2017”, disse, em comunicado enviado hoje a ACM Neto.

Sobre Mathias Jaimes

Leia Também

Lula se mostrou nervoso e violento no RJ: ameaças e ataques ao TRF 4

A quase uma semana de ser julgado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da ...

Deixe uma resposta